Acessibilidade

Acessibilidade

Estrutura do Site

Estrutura do Site

X

COVID-19

Aguarde, carregando...

Utilizamos cookies essenciais para proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de privacidade.

Política de privacidade

Notícia

Notícia

Município

Combate à Dengue: Ariranha do Ivaí em Alerta Máximo!


16 de Abril de 2024

Na última semana, as equipes de vigilância sanitária e agentes de endemias da secretaria municipal de saúde percorreram as ruas do município, com o objetivo de alertar a população e eliminar os potenciais focos do mosquito da dengue nos quintais dos moradores. O que encontraram foi preocupante. Segundo o vigilante sanitário Devanildo Aureliano, alguns quintais estavam infestados com larvas do mosquito.

Cenários como este já se tornaram constantes no município, desde fevereiro a secretaria de saúde enfrenta uma crise sanitária com a proliferação descontrolada do mosquito transmissor da dengue. Os números são preocupantes; de acordo com o último boletim epidemiológico emitido pela secretaria, no dia 4 de abril, revela que mais de 450 casos de dengue foram notificados, dos quais mais de 280 já foram confirmados, e mais de 25 permanecem sob suspeita. Comparado com o mesmo período do ano anterior, em 2023, onde apenas 4 casos foram notificados em fevereiro, 1 em março e 4 em abril. Um aumento de mais de 10.000% de 2023 a 2024.

A medicação disponibilizada para pessoas infectadas entre os dois anos também é um recorte alarmante. Em março de 2023, a farmácia do Centro de Saúde Alcir Wielevski distribuiu cerca de 530 comprimidos de paracetamol. No entanto, com a explosão dos casos de dengue em março de 2024, a demanda por medicamentos aumentou significativamente. No mesmo período deste ano, a farmácia distribuiu 2620 comprimidos de paracetamol, um aumento de 400% em relação ao ano anterior. Em relação à medicação endovenosa, aquela aplicada diretamente na veia, como soro para hidratação, em março de 2023 foram administradas apenas 10 unidades, enquanto em março de 2024, foram administradas 147 unidades.

De acordo com o Ministério da Saúde a crise antecipada do casos de dengue se deve a fatores climáticos que contribuem para esse surto devastador. O calor escaldante combinado com chuvas torrenciais, possíveis efeitos do El Niño, fornecem o ambiente ideal para a reprodução desenfreada do mosquito transmissor da dengue. Além disso, o ressurgimento dos sorotipos 3 e 4 do vírus da dengue no Brasil agrava ainda mais a situação.

Diante desse cenário alarmante, a secretaria de saúde reforça a importância vital de manter os quintais limpos e livres de qualquer objeto que possa servir como criadouro para os mosquitos. Os moradores são instados a ficarem alertas e vigilantes, identificando e eliminando possíveis focos do mosquito em suas residências.

Caso haja algum sintoma associado à dengue, como febre alta, dores musculares e sintomas semelhantes aos da gripe, é recomendado repouso, o uso de repelente para evitar novas picadas do mosquito, hidratação oral com soro e alimentação. No caso de sintomas agravantes, como sangramento ou dores abdominais intensas, é essencial que a pessoa busque imediatamente assistência médica e siga as orientações da equipe de saúde para um tratamento adequado.

Telefone saúde: (43)3433-1067 | (43) 3433-1136

Últimas Notícias

Atualizado em 17/05/2024